Blog

  • 29
  • MAR
  • 2018

Jogo da Geografia

A turma do 4º A brincou de aprender na aula de Geografia. Para fixarem o conteúdo sobre o Território Brasileiro, os alunos se dividiram em grupo e jogaram o jogo de tabuleiro "Explorando o Brasil". Assim, trabalharam a localização e os nomes dos estados e capitais do Brasil. Aprender de forma lúdica é sempre mais interessante e recompensador!

  • 28
  • MAR
  • 2018

Limonada Suíça com Hortelã

Receita preparada e degustada pelos alunos de 6ºs anos em comemoração ao Dia Mundial da Água.

Ingredientes

- 1 litro de água

- 4 limões sicilianos com casca

- 4 colheres de sopa de açúcar mascavo

- 5g de hortelã

 

Modo de preparo:

Higienize bem as mãos.

Adicione 1 litro de água no liquidificador. Lave bem os limões e corte-os em 4 partes, retirando as sementes e as fibras brancas do miolo. Coloque no liquidificador. Acrescente as folhinhas de hortelã. Bata por apenas 30 segundos. Consuma imediatamente para que não haja perda de nutrientes.

 

Fique de olho:  Limão e hortelã, ricos em antioxidantes, vitamina C, vitamina B, vitamina D, cálcio e fósforo são uma dupla imbatível contra gripes e resfriados, má digestão e problemas no sistema digestório.

  • 26
  • MAR
  • 2018

A aventura dos grandes amigos, por EMILLY MITSUKO – 6 ANO B

Certa manhã, Bartolomeu e seus amigos decidiram viajar pelo oceano. Mesmo com os relatos de monstros marinhos, o sol encostar no mar e queimá-los, a Terra ser quadrada e eles caírem no abismo e monstros mitológicos estarem esperando pelo barco deles para devorá-los, eles não tinham medo de nada.

Horas depois deles zarparem, quando estavam longe da cidade, Diogo gritou:

- Recuar! Recuar! Monstros marinhos à frente! Voltar para a cidade!

Eles não recuaram, continuaram sua jornada e novamente Diogo gritou:

- Desviem! Monstro de oito tentáculos enormes à frente!

Bem, quando eles terminou de falar, uma tempestade se formou. Algum tempo depois, começou a chover, mas essa chuva se tornava cada vez mais intensa; as ondas eram gigantes, o vento era muito forte, havia rochas por todo o lado e estava muito frio e escuro. As ondas viravam o navio para um lado e para o outro, fazendo com que quase todos no convés caíssem no mar. A tempestade ficava cada vez pior.

Então, a tempestade acabou, pois eles tinham atravessado a baía tempestuosa, onde vários navios naufragavam. Eles chegaram ao seu destino na Ilha das Pedras Preciosas e ficaram lá alguns dias e retornaram para a cidade. Ao retornar para a cidade, tiveram que enfrentar tudo que passaram novamente.

 

* Da série Contos de Aventura, Oficina de Texto conduzida pela professora Juliane Peters.

  • 26
  • MAR
  • 2018

Projeto Amigo da Natureza - regulamento

Este ano, os alunos de 5º e 6º ano da Bambinata estarão novamente participando do concurso Amigos da Natureza. Por ele, os participantes apresentam algo criado a partir de isopor reciclado. Poderão ser inscritas expressões artísticas, tais como: esculturas, maquetes, robôs, peças decorativas, artesanato, vídeos, pesquisas, poemas, músicas, performances individuais, etc; O concurso é promovido pelo Grupo Gestor do projeto Planeta Reciclável® do Sindicato das Escolas Particulares - Sinepe/PR e do projeto de Educação Ambiental “Amigo da Natureza” da Meiwa Indústria e Comércio de Arujá/SP.  Na foto, trava-portas desenvolvido pela dupla Paulo e David, do sexto-ano de 2017.

Confira o regulamento em: /img/editor/Regulamento Concurso - Curitiba - 2018.pdf

PRAZOS

a) Elaboração dos trabalhos: A partir de 19.03.2018 até 12.05.2018

b) Exposição interna e escolha dos 2 finalistas: Até o dia 12.05.18 (a critério da escola)

c) Envio da Ficha Técnica dos finalistas ao Sinepe/PR: até 15.05.2018 (sem falta)

d) Entrega dos trabalhos na IX Mostra no Shopping Palladium: Dia 09.06.2018 – Antes das 10:00h.

e) Retirada dos trabalhos do Shopping Palladium: Dia 09.06.2018 – Após as 22:00h

f) Premiação oficial da IX Mostra sobre reciclagem: dia 09.06.2018 – A partir das 14:00h

g) Divulgação dos “Vencedores da Mostra”: Dia 09.06.2018 - As 18:00h

 

 

  • 22
  • MAR
  • 2018

Conto social, por Lucas Vinícius, 9º ano A

Almoço!

- Graças a Deus um descanso! Trabalhando o dia inteiro neste sol, não é Pereira?

- Pior que é, e ainda por cima o arquiteto é quem ganha o mérito. E nós? E o nosso trabalho duro?

- Esquece isso... Mas, o que você trouxe para comer?

- Arroz e feijão. E você?

- O mesmo.

- Agora pergunta pro arquiteto, o que ele estará almoçando!? Num restaurante talvez.

- Pare com isso, assim você ficará com rancor.

- É... acho que você tem razão. Devo parar com isso, não é Ronaldo?

- Acho que deve.

- É que eu fico com raiva desse italiano.

- Mas não é culpa dele.

- De quem é então?

- Francisco Júnior!

- Quem é este?

- Foi um empresário brasileiro que dirigiu há 4 décadas indústrias reunidas.

- Ele receberá a honra então.

- Acredito que sim.

  • 15
  • MAR
  • 2018

O colar dos arrepios, por Diogo Haschich

Era uma noite de sombra e solitária. Eu me mudara de lá há dois dias e acabo de perceber que deixei meu bem mais precioso lá: um colar de safiras que minha mãe havia me dado quando eu tinha sete anos, antes daquele acidente que a matara, juntamento com meu pai.

Voltei à mansão onde eu morava para achar o colar. Eu havia me mudado, pois ouvia vozes de noite, e isso era horripilantemente horrível – e agora eu havia voltado. Era uma mansão muito grande e bonita, porém, ficou feia pela ação do tempo e está aí mais um motivo para a mudança.

Abri a porta e fiquei surpreso, tudo estava cintilantemente limpo, sendo que eu larguei caindo aos pedaços. Demorei a achar meu quarto, naquela imensidão. Ao achar, abri a porta e tive um pequeno aceno de nostalgia, me lembrei dos tempos que eu morava lá com minha família, bons tempos. Achei o colar em cima de minha mesa; o peguei e, assim que estava saindo, ouvi uma voz familiar vinda atrás de mim:

- Você é da família! Por que não fica conosco?

Espantado, corri feito um louco. Ao chegar a porta da mansão, alguém me segurou. Olhei para trás e vi pessoas que se pareciam com meus pais, porém, estavam brancos, pálidos e seus olhos estavam vazios, inteiramente brancos. Então, eles disseram:

- Fique conosco, filho! Não deixe a lembrança do incêndio nos separar! Fique conosco!

Naquela hora tive um choque, tentava me soltar, porém, eles me seguravam muito forte. Foi quando fiquei apavorado e dei um chute na perna de meu pai. Ele me soltou e corri o mais rápido que pude e fugi. Nunca mais voltei lá!

 

* Oficina de textos conduzida pela professora Juliane sobre Contos de Mistérios para o sétimo ano.

  • 12
  • MAR
  • 2018

Prática que motiva

O mês de fevereiro foi intenso no aprendizado dos 5ºs anos. Em matemática, no tópico Figuras Geométricas Planas, cada aluno confeccionou duas figuras escolhidas, como o cubo, rendendo um trabalho maravilhoso com o qual todos se divertiram muito! Em Português, depois de aprenderem sobre notícias e reportagens, os alunos criaram seu próprio jornal com fatos atuais. Estes ficarão à disposição de toda escola na Biblioteca.

Desenvolvido por ledz.com.br