Memórias

Informativo Fonoaudiológico - Agosto/2013

01/08/2013 | « voltar

Chupeta e mamadeira. Dois itens indispensáveis na vida de quase todas as crianças pequenas. Porém, chega uma hora em que se livrar dos dois é necessário.

Mas como saber que esse momento chegou e, principalmente, como tirar esse hábito dos pequenos?

O médico Sylvio Renan Monteiro de Barros, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, explica que o segundo ano de vida é a hora ideal para a retirada da mamadeira e da chupeta, mas ele lembra que é normal que algumas crianças consigam se livrar deste hábito rapidamente, enquanto outras demoram mais.

Para que o processo seja concluído mais facilmente, Sylvio explica a mãe deve seguir algumas regrinhas que facilitam o processo. De acordo com ele, durante o segundo ano de vida a criança habitualmente toma três mamadeiras ao dia: de manhã, no meio da tarde e ao deitar-se. É indicado retirar uma mamada de cada vez, iniciando pela da tarde. Essa mamada pode ser trocada por um lanche, normalmente um iogurte ou uma vitamina com leite batido com frutas que deve ser servido em copo, caneca ou com canudinho. "A segunda mamada a ser suspensa deve ser a da manhã, trocando-a por leite com cereais, servido de colher, ou vitamina com frutas, sempre em copo, caneca ou canudinho".

A última a ser retirada é a mamada noturna, que deve seguir o mesmo processo. "Esta é realmente a mais difícil de ser retirada, mas se a mãe tiver firmeza e atenção com a criança, certamente ela conseguirá".

Chupeta
O pediatra explica que a chupeta deve ser retirada algum tempo após o abandono da mamadeira. A melhor forma é conversar com a criança, avisando que a partir de tal data ela não usará mais chupeta. "Pode-se utilizar um subterfúgio, que é dar a chupeta para o coelhinho da Páscoa ou Papai Noel, para ele levar para uma criança pequena, pobre, que não tem chupeta, por exemplo".

Sylvio frisa que é importante que uma vez retirada, tanto a mamadeira quanto a chupeta, a mãe não recue e volte a oferecer à criança. "O abandono é muito mais difícil depois de uma experiência frustrada".

Paciência, disciplina e um pouco de criatividade são fundamentais na hora fazer com que seu filho abandone de vez os hábitos de sucção. O processo deve ser transformado em algo prazeroso, com brincadeiras, alimentos com carinhas, que estimulam a criança a comer e esquecer o hábito. Comprar copinhos coloridos e divertidos também pode ajudar. Outra dica é explicar que ela já está grandinha e não precisa mais da mamadeira.

A médica explica que o ato de sugá-la é um mecanismo associado à necessidade de satisfação afetiva e de segurança, que desperta um sentimento no bebê semelhante ao que ocorre quando ele mama no peito da mãe. “Para os bebês, é natural e prazeroso chupar os dedos e mamadeiras, pois lembram o “seio” materno. Mas isso deve ser encarado como uma fase na vida da criança, que deve passar logo, pois, se estendido após os dois anos de idade, começa se tornar prejudicial, especialmente para a dentição”, diz.

Fonte: blog Itodas e VILAMULHER

Fonoaudiologia Educacional - Escola Bambinata 

Desenvolvido por ledz.com.br